Início » Requalificação da centenária Ponte de Arame evolui a bom ritmo

Requalificação da centenária Ponte de Arame evolui a bom ritmo

por admin
Requalificação da centenária Ponte de Arame evolui a bom ritmo

AMARANTE E CELORICO DE BASTO UNIDOS POR PONTE CENTENÁRIA

Decorrem a bom ritmo as obras da empreitada de Requalificação e Reforço da Ponte de Arame que une os concelhos de Amarante e Celorico de Basto, nas freguesias de Rebordelo e Arnoia. 

Trata-se de uma obra da responsabilidade da Associação de Municípios do Douro e Tâmega que prevê a reabilitação e o reforço da Ponte de Arame, elemento centenário, estando já ambas as margens com trabalhos avançados para a união fortificada e com segurança necessária para o seu futuro funcionamento.

Segundo a presidente do Conselho Diretivo da AMDT, Cristina Vieira,  responsável pelo projeto na AMDT, em deslocação “os trabalhos da empreitada estão a decorrer de acordo com o previsto no projeto e programa-se a sua conclusão para o início do mês de junho. Algo que desejamos que aconteça a curto prazo e que vai contribuir para a dinâmica do turismo de natureza deste território”. 

Construída em 1926 a ponte, no lugar de Lourido, vai poder ser retomada como ligação entre ambos os municípios e tornar-se um ícone turístico, com uma envolvência paisagística que vai atrair muitos visitantes e amantes da natureza, bem como os que gostam de percorrer a Ecopista do Tâmega. Um percurso que valoriza com o rio Tâmega aos seus pés.

É um projeto que assume uma grande relevância no contexto Estratégias da Eficiência Coletiva (EEC) PROVERE, uma vez que vem reforçar a aposta da instituição na área do Turismo de Natureza, projeto âncora desenvolvido por esta associação na EEC PROVERE Turismo para Todos, a incidir no Douro, Tâmega e Sousa, Arouca e Vale de Cambra.

Salienta-se ainda a complementaridade criada entre este projeto e os dois projetos âncora dos Municípios de Amarante e Celorico de Basto, “Valorização do cluster turístico das serras do Marão e da Aboboreira” e “Ecopista do Tâmega – 2.ª fase”, respetivamente, cuja área de intervenção são as serras do Marão e a Aboboreira e a Ecopista do Tâmega.

Este projeto resulta de um investimento global de 324.283,67 € da candidatura no âmbito EEC PROVERE – Projetos Âncora, do Programa Operacional Regional do Norte e engloba levantamento geométrico e topográfico, projeto de execução e a empreitada.

Também poderá gostar de

Escrever um comentário